Bahia By

A Bahia com estilo, expressada por diversas personalidades, através de entrevistas divertidas e interessantes

Com organização do artista visual Willyams Martins

Original

Arte de Passagem – Itinerância pela Arte Contemporânea da Bahia

em 23/05/2018

Ir ao museu, conhecer o trabalho de dez artistas contemporâneos e depois pegar uma carona para circular por seus ateliês. Esta é a experiência proposta pelo projeto 'Arte de Passagem – Itinerância pela Arte Contemporânea da Bahia', que acontece no Museu de Arte da Bahia (MAB), de 25 de maio a 07 de julho.

 Com organização do artista visual Willyams Martins, a exposição conta ainda com a participação de Ana Paula Pessoa, Beth Souza, Daniela Steele, Elias Santos, Milena Oliveira, Rener Rama, Vladmir Oliveira, Rosa Bunchaft e Sandro Pimentel. O projeto foi selecionado no Edital Setorial de Artes Visuais da Fundação Cultural da Bahia e tem apoio financeiro das secretarias de Cultura e da Fazenda do governo do Estado.

Durante a mostra, estão programadas itinerâncias pelos espaços de criação dos artistas, sempre nas tardes dos sábados. Uma van sairá do museu para circular pelos ateliês, promovendo um encotro inusitado entre criadores e fruidores. “A exposição passa a se tornar uma arte transitória a partir do percurso que se faz com os visitantes até o ateliê dos artistas expositores. É uma temporada que serve como metáfora para falar de suas subjetividades e como eles produzem suas células estéticas”, explica Willyams Martins.

Desta forma, 'Arte de Passagem – Itinerância pela Arte Contemporânea da Bahia', pretende, além de apresentar os trabalhos dos dez artistas plásticos contemporâneos, mostrar também como funciona o processo produtivo, artístico e criativo de cada um. "Ao receber em seus ateliês, o Coletivo Arte de Passagem borra as fronteiras do pensar e fazer artístico, constituindo-se em um exercício contemporâneo que dialoga com práticas inclusivas e acolhedoras, contrapondo-se dialeticamente a um manto de intolerância e ódio que ameaça tomar o país", analisa Pedro Arcanjo, diretor do MAB.